A SEITA DO BANCO SAGRADO.



O discípulo foi até o gabinete de Niestévisky para conversar e, quem sabe, adquirir um pouco da infinita sabedoria niestéviskyniana. Entrou, fez os cumprimentos habituais e foi se sentar num banco que havia ali por perto. Ao ver que o discípulo estava prestes a repousar o seu herege traseiro no referido banco, Niestévisky deu um grito desesperado e ordenou que ele não esse aproximasse daquele banco. O pobre discípulo, aturdido e confuso, quase teve um ataque cardíaco causado pelo susto que levou da reação exagerada do mestre.
Num primeiro momento o discípulo pensou que a reação do mestre fosse porque se tratasse de um banco muito caro, mas depois de olhar melhor para o banco concluiu que não seria esse o caso. Era um banco bonito, entalhado em madeira, porém com aspecto rústico e desgastado, provavelmente era muito velho.

Curioso, o discípulo, ainda tremendo um pouco, perguntou:

Discípulo: Mestre, perdão! Não imaginei que eu não pudesse me sentar ai. Mas afinal, o que tem de especial esse banco velho? É alguma relíquia de família?
Niestévisky: É uma relíquia sim, mas não é de família. Esse banco me foi dado há muito tempo, para que eu fosse o seu guardião.
Discípulo: Guardião? Mas o que tem esse banco de tão especial, que precise de um guardião?
Nistévisky: Ele foi feito com a madeira da árvore Bodhi.
Discípulo: Aquela sob a qual Buda atingiu a iluminação?!?!
Niestévisky: Sim, essa mesma.
Discípulo: Mas então esse banco é realmente uma relíquia preciosa!
Niestévisky: Sim, apenas por esse fato ele já seria realmente uma relíquia prodigiosa, porém, ainda tem mais. Depois de conseguir a madeira da árvore, o fundador da mundialmente desconhecida Seita Secreta do Banco Sagrado...
Discípulo: Seita secreta do banco sagrado?! Nunca ouvi falara.
Niestévisky: Claro que não ouviu, como eu disse, somos secretos e somos bons no que fazemos. Mas continuando, o nosso fundador, sem saber direito o que fazer com aquela madeira sagrada, subiu em um monte e orou a Deus. Segundo a tradição, algumas horas depois ele desceu de lá com uma tábua onde estava registrado o desenho detalhado de um banco que deveria ser feito com aquela madeira. Inclusive, se você olhar em baixo do banco, verá a inscrição design by God.
Discípulo: Ah não mestre, design by God foi demais! Desculpe, mas nessa história está difícil de acreditar!
Niestévisky: Bem, então já que você é um homem de pouca fé, nem vou perder meu tempo contando o resto.
Discípulo: Ainda tem mais?
Niestévisky: Sim, mas não vou te contar.
Discípulo: Por que não mestre?
Niestévisky: Porque não quero perder meu tempo. Se você não acreditou no que eu disse até agora, quando eu te contar quem foi o carpinteiro que confeccionou o banco, ai é que você não acredita mesmo!
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não olhe agora, mas você está sendo vigiado...

Uma das minhas criações

NEVASCA