Seguir por Email

26 de jan de 2010

MAIS FRASES

Acabo de encontrar um fio branco na minha barba!!! Meus Deus, acho que estou ficando albino!!!

Milhares de mulheres lindas já passaram pela minha vida... Ah, se pelo menos uma parasse para bater um papinho...

Eu tenho a mania de viver mudando de ideia... Não, pensando bem acho que não tenho... É, tenho sim...

Eu sempre esqueço o mal que me fazem, eu sou assim mesmo, péssima memória.

Fui recusado por uma garota que não quis o meu amor. Mas tudo bem, todos os dias eu lhe mando flores, descobri que ela tem alergia.

FRASES

Espero que um dia a humanidade seja tão unida quanto o arroz da minha empregada.

Apesar desse meu jeito austero e de jamais deixar transparecer minhas angústias e sofrimentos, lá no fundo, bem no fundo, essas hemorroidas me deixam louco.

Deus quer me levar para o céu. O diabo tenta me levar para o inferno. Por que não param com essa disputa e não me levam para a Disney?

Graças a mim, até o final deste século a humanidade evoluirá uns 100 anos.

O médico me mandou dormir cedo. Bem, 8h da manhã me parece suficientemente cedo.

As pessoas andam tão violentas e perigosas que um dia encontrei um fantasma e quem saiu correndo foi ele.

Eu tenho fé no dinheiro, creio que ele existe, apesar de eu não poder vê-lo.

Gay? Hétero? Chega de dúvidas sobre sexualidade! Em breve no mercado meu mais novo produto: Bússola erótica para orientação sexual.

Prudência é bom, desde que utilizada com cuidado.

23 de jan de 2010

UM CHATO E UMA BRUSCA INTERRUPÇÃO DE UMA PALESTRA.


Durante uma palestra intitulada “A influência da religião na cosmogonia psicotrópica aplicada à
arte abstrato-figurativa” Niestévisky citou Jesus:

“Os bois pastam tranquilos porque um novo capim sempre há de crescer no eterno pasto da
fé.”

Mal terminou a citação, um homem, se levanta no meio da plateia e grita:

_Mentira, Jesus nunca disse isso!

Niestévisky, calmo como quase sempre, olha para o homem e diz:

_Como você sabe?

O homem responde:

_Porque eu conheço a bíblia de cor e sei que essa frase não está registrada em nenhum lugar
dela!

Niestévisky dá um leve sorriso e respondeu: Bem, não está lá porque ele disse em off.

E continuo a palestra, sem mais interrupções.

16 de jan de 2010

DIÁLOGO SOBRE A SOLIDARIEDADE.


Vendo que o mestre olhava com tristeza para a foto de um velho recorte de jornal, um dos seus discípulos perguntou:


Discípulo: O que aconteceu Mestre, recordações tristes?


Niestévisky: Sim. Estou vendo a foto de um amigo falecido.


Discípulo: Perder amigos é muito triste. Faz tempo que ele morreu?


Niestévisky: Sim, já faz mais de 40 anos.


Discípulo: Que bonita amizade, tanto tempo depois e o senhor ainda se lembra dele com tanta ternura. De que ele morreu?


Niestévisky: Executado na cadeira elétrica. Este jornal deu a notícia da execução.

Discípulo: Sério?!?!


Niestévisky: Sim, mas ele, apesar de haver cometido alguns erros, ainda assim era um bom compars... Quer dizer, companheiro. Eu fui ver a execução, ele quis que eu fosse. Foi muito triste. Aquilo me deixou traumatizado. Até hoje, toda vez que vou a uma churrascaria, o cheiro me faz lembrar dele. Mas sabe, o pior é que carrego comigo um certo remorso. Eu me neguei a realizar o seu último pedido.


Discípulo: Puxa mestre, isso é uma coisa que não se faz a um homem que vai morrer. O último pedido é algo quase sagrado. Mas o que foi que ele pediu?


Niestévisky: Bem, ele me disse que estava com muito medo e por isso me pediu que eu segurasse a sua mão enquanto fosse eletrocutado.

7 de jan de 2010

DIÁLOGO SOBRE DIALOGAR COM O CACHORRO.





Um rapaz chega para Niestévisky e diz:


Rapaz: Oh grande sábio, preciso de seus conselhos.

Niestévisky: Sobre o que?

Rapaz: É que eu acho que meu pai está ficando louco.


Ao ouvir isso Niestévisky apanha uma pequena caderneta do seu bolso e se prepara para fazer anotações sobre o caso.


Niestévisky: Certo, isso é realmente um problema. Mas por que você acha que seu pai está louco?

Rapaz: Porque ele conversa com o cachorro.

Niestévisky: Sei, mas preciso te dizer que até aí não há nada de mais, muitas pessoas conversam com seus cachorros, eu mesmo falo com os meus de vez em quando. Isso só revelaria algum problema mental do seu pai se o cachorro respondesse.

Rapaz: Aí é que está o problema, ele me disse que o cachorro responde!

Niestévisky: Bem, se o seu pai afirma que o cachorro responde...

Rapaz: Não mestre, foi o meu gato que me disse.


Ao ouvir isso Niestévisky olha para o céu, esfrega a mão pelo rosto, pensa por alguns segundos, amaldiçoa mentalmente a vida e diz:


Niestévisky: (tentando se livrar logo do rapaz) Ah, então está explicado. Cães e gatos são inimigos naturais. Ele deve estar apenas fazendo intriga para prejudicar o cachorro. Em todo caso, continue de olho em seu pai, só para confirmar.

Rapaz: Vou tentar, mas eu ando muito ocupado cuidando da minha mãe, sabe, ela está sempre sozinha, precisa de companhia, coitada.

Niestévisky: Pobre senhora, a solidão é um sentimento difícil de suportar, mas talvez se ela conversasse mais com o seu pai, ele parasse de falar tanto com o cachorro. Resolveria dois problemas de uma vez só.

Rapaz: Não, Mestre, eles não se falam mais desde que ela o deixou.

Niestévisky: Ah, entendo... E eles se separam faz tempo?

Rapaz: Já faz 5 anos.

Niestévisky: E a separação teve alguma relação com o fato do seu pai conversar com o cachorro?

Rapaz: Não senhor, naquela época ele não fazia isso.

Niestévisky: Sei, e qual foi a causa do divórcio?

Rapaz: Não foi divórcio. Eles pararam de se ver depois que ela morreu.

Niestévisky: (perdendo a paciência) Ai meu Deus do céu! Mas que louco filho de uma...


A última palavra o mestre disse apenas sussurrada, mas pode-se facilmente imaginar qual é.


Rapaz: Desculpe, não ouvi direito. Filho de uma o quê?

Niestévisky: (disfarçando) Filho de uma mãe sofredora. Pobre coitada, tão solitária.

Rapaz: É verdade, tenho pena dela. Mas ouvi o senhor dizer “louco” também.

Niestévisky: Sim, eu disse, ouviu bem. Você é louco! Louco de amor pela sua querida mãezinha.

Rapaz: Ah, sou sim. Mas então mestre, afinal de contas, o que devo fazer sobre isso tudo?

Niestévisky: Bem, façamos o seguinte, vá para casa e me traga o cachorro aqui.

Rapaz: Por quê o cachorro?

Niestévisky: É que agora que conheço melhor a sua família, acho que é pobrezinho que precisa de ajuda. Só espero que não seja tarde mais...

1 de jan de 2010

BILHETE DO MESTRE ENVIADO A UMA AMIGA. (Catalogado como epístola da falência do futuro)




Olá minha cara, contrariando as expectativas chegamos a 2010. Década de 10... Ainda está viva em minha memória a década de 1910. Isso me faz sentir tão, sei lá, antigo. Já se passaram 10 anos desde o ano 2000 e nada de eu ir morar na lua, nem carros voadores, nem androides empregadas domésticas, nem tele-transporte, nem TV tridimensional com cheiro, nem contato com extraterrestres e nem aquelas coisas todas que me prometeram... Isso me faz pensar que o futuro não é mais como era antigamente.


E por falar nisso, acaba de me ocorrer a ideia de que no passado eu era jovem e agora sou velho, então concluo que a minha juventude é mais velha que a minha velhice... nossa, isso é meio esquisito... Mas enfim, lá vamos nós para mais 365 dias, se não me falha a memória. Tenha uma feliz novo volta ao redor do sol.


PS: se você se sentir enjoada com tantas voltas que a terra dá e quiser vomitar, faça como eu, abra a janela e vomite para fora da atmosfera. Devemos manter o planeta limpo.